Peru: Um país que Sonha!
15 de agosto de 2019

“Se na luta pela nossa vocação tivéssemos que morrer, esse seria o dia mais feliz de nossas vidas” Santa Gianna Beretta Molla.
É com essa frase de Santa Gianna que inicio aquilo que estou discernindo, aquilo que estou fazendo com que seja meu caminho de santificação, meu caminho de real encontro com o Senhor.
Sou Djalma, tenho 23 anos, atualmente sou seminarista do terceiro ano de filosofia na Diocese de Taubaté-SP. Se pudesse resumir minha história vocacional, colocaria três momentos muito importantes: infância, adolescência e Renovação Carismática Católica. Infância, pois, fora exatamente neste período onde, segundo minha mãe, tive diversas vezes momentos onde brinquei de ser padre. Sim, por diversas vezes, conta minha mãe, eu fui à Santa Missa com ela e saia correndo para mais próximo do altar para observar tudo o que o padre fazia para depois repetir em casa. Como me marcou profundamente descobrir isso.
Durante a adolescência, eu negava, sempre com incisão e até bravo quando alguns comentavam que eu poderia ser padre. Como aquilo me fazia ficar bravo. Eu não queria ser padre, eu queria ser professor. Durante toda a adolescência essa verdade me vinha era colocada em minha história e eu com braveza e insistência negava.
Aos 14 anos, especificamente, tive um momento muito marcante em minha vida, que foi o momento em que comecei a participar de um Grupo de Oração Jovem. Mal sabia que ali eu entenderia o quanto Deus me ama, o quanto Ele quer de minha vida. Naquele grupo de jovens tive a oportunidade de sentir ardentemente o desejo de ser padre. Mas era ainda tudo confuso. Continuei participando da RCC, onde conheci o Ministério Jovem (MJ) e junto o Movimento Universidades Renovadas (MUR). Pronto, eu sabia que precisava doar minha juventude para viver um real e verdadeiro Sonho de Amor. Um Sonho de Amor que seria para o mundo todo e caso eu não pudesse ir ao mundo todo, eu iria mudar o meu mundo. Essa certeza de ser um jovem chamado que possuía um sonho de fazer parte de um sonho maior de Salvação. Essa decisão me fez compreender que aquele chamado ao sacerdócio era um passo a mais, uma forma de alcançar o meu mundo.
Hoje, olhando para todo o trajeto que percorri vejo o quanto a graça divina se fez e se faz presente em minha história. Sou grato a Deus por ter me apresentado a Renovação Carismática Católica, onde pude aprender a ser igreja. Por ter me apresentado aquele grupo de jovens, que depois se uniu ao Grupo Misto Sagrada Família, grupo que fiz parte até entrar no seminário. Grato por ter me apresentado o Ministério Universidades Renovadas e o Ministério Jovem que foram incentivos particulares de resposta.
Assim, olhando tudo isso, sou capaz de olhar para minha história vocacional e perceber que o Amor de Deus em tudo se fez, em tudo se faz e sei que continuará a fazer. A resposta a vocação é pra vida. É até a morte. É para levar à salvação!

 

Djalma Rodrigo da Silva
Seminarista – Seminário Diocesano Cura d’Ars
Graduando em Filosofia – Faculdade Dehoniana
Diocese de Taubaté – SP